Oii, gente!
Sou a Débora Souza, Nutricionista e pesquisadora. Fui convidada a escrever para vocês, então, frequentemente vocês terão minha companhia aqui no blog.
Quem quiser me conhecer um pouco mais e saber sobre meu currículo, pode clicar nessa página aqui que tem tudinho: http://www.panelinhasaudavel.com.br/sobre/sobre-a-nutri/

E para estrear a participação por aqui, vamos abordar um assunto que ainda gera muita confusão na cabeça de quem descobre alguma restrição alimentar, principalmente relacionada à leite: Alergia, intolerância ou Sensibilidade? Qual é a diferença entre elas?

Alergia: é resposta do sistema imune, referente a um componente químico que pertencente ao alimento, que em geral são as proteínas.

Intolerância: é uma reação adversa que envolve a digestão ou o metabolismo de algum componente químico do alimento, porém não está ligada com o sistema imune.

Sensibilidade: trata-se de uma resposta anormal frente a um componente químico do alimento que provoca reação semelhante a da alergia.

Entre todos os alimentos disponíveis para consumo humano, oito são os responsáveis por aproximadamente 90% das reações alérgicas, sendo eles: leite; ovo; amendoim; frutos do mar; peixe; castanhas; soja e o trigo. E mesmo neste pequeno grupo taxados como alérgenos a proteína do leite de vaca recebe destaque por proporcionar maior alergia os indivíduos.

Intolerância, alergia e sensibilidade, com o que?

Lactose é uma substância química, conhecida vulgarmente como ‘’ açúcar do leite’’, para que o organismo consiga realizar o processo de digestão e absorção dessa substância, ele precisa da Lactase, substância também química que realiza digestão e absorção da lactose. Neste caso aplica-se a intolerância, ou seja, uma incapacidade do organismo em realizar o processo metabólico de digestão e absorção da lactose, o organismo do indivíduo é afetado pela deficiência ou ausência dessa enzima intestinal ocasionando a intolerância.

Os sintomas mais comuns da intolerância a Lactose são:

  • Desconforto abdominal e flatulência;
  • Diarreia;
  • Vômito.

Como alergias e sensibilidades, são normalmente desenvolvidas pelas proteínas, podemos associar a APLV a Doença Celíaca, decorrentes de reações alérgicas. Quando o organismo entra em contanto com a proteína do leite de vaca ou glúten, existe uma reação do sistema imune. A APLV acontece prioritariamente em criança em seus três primeiros anos de vida, cuja consequência é decorrente da introdução do leite vaca e o desmame precoce. A imaturidade do sistema digestório e imune são comuns nessa faixa etária, onde contribui para o desenvolvimento dessa alergia.

Os sintomas mais comuns da APLV são:

  • Constipação;
  • Dermatite
  • Diarreia;
  • Emagrecimento;
  • Manchas pelo corpo;
  • Parada de crescimento;
  • Problemas respiratórios;
  • Refluxo gastroesofágico;
  • Sangue nas fezes;
  • Vômito.

Os sintomas da doença celíaca são:

  • Abortos repetidos
  • Anemia
  • Ausência de apetite;
  • Câimbras;
  • Desnutrição;
  • Diarreia crônica;
  • Emagrecimento ou aumento de peso;
  • Fadigas;
  • Humor alterado
  • Inchaço;
  • Osteoporose e doenças associadas.

O tratamento é fundamental e prioritário tanto em alergias quanto intolerância, uma vez que, os danos causados no intestino são significativos e os agravos nutricionais ainda maiores. O paciente com diagnóstico tanto de um quanto de outra, pode desenvolver câncer de colón, entre outras patologias mais agravantes.

É importante ter consciência e querer adquirir hábitos saudáveis relacionando com o consumo consciente de alimentos que sejam provenientes de benefícios para o seu organismo.  Se o leite de vaca não te traz benéfico porque consumi-lo? Ignorando os sintomas da alergia ou intolerância, não é sábio e nem o faz igual àqueles que consomem sem ter reações, porém o prejudica. É fundamental o paciente de paciência e perseverança para as mudanças nos hábitos alimentares e perceber que é possível alimentar-se e aproveitar as delicia da vida, sem os alimentos que prejudicam sua saúde.

Vale lembra que, tanto intolerância ou alergias são diagnosticadas por profissionais capacitados.

IMPORTANTE: Quem tem intolerância a lactose, tem intolerância ao açúcar do leite e por isso, pode consumir os produtos “lacfree”, cada vez mais populares no mercado – esses produtos são acrescidos de lactase, a mesma enzima que podemos comprar e tomar para conseguir consumir produtos com lactose.

Quem tem alergia ao leite de vaca (APLV), tem alergia a proteína e NÃO PODE consumir produtos “lacfree”. Esses produtos continuam sendo feitos de leite, a proteína do leite continua presente, o que difere é que, acrescentando a lactase no processo de fabricação, ela faz a quebra da lactose e se torna um produto para consumo de intolerantes. APLV não deve consumir.

Leia também: Quais exames são feitos pra identificar uma restrição alimentar?