Ops! Tenho tido sinais e sintomas que podem ser consequência de alguma alergia alimentar, o que fazer?
O primeiro passo é procurar um profissional capacitado para realizar esse diagnóstico (Médico especialista em Sistema Digestório o famoso ‘’Gastro’’). Sob a condução de uma longa conversa, seguindo por inúmeras questões presentes em uma Anamnese Clínica, o profissional é capaz de perceber e associar tais sinais e sintomas com a provável alergia.
A partir de suas respostas, e para complementar o possível diagnóstico o profissional, tende a solicitar exames, podendo ser laboratoriais ou a endoscopia (para fazer a biopsia), assim é possível realizar o diagnostico confirmando ou não a existência da alergia.

Exames laboratoriais? Quais são?

Como já explicado a Anamnese é o ponto de partida e um dos principais instrumentos na investigação do diagnóstico de provável alergia alimentar, portanto ela deve ser minuciosa. Itens que devem ser questionados para o paciente:

• Antecedentes familiares e patológicos:
• Relacionados ao alimento desencadeante (conforme descrito pelo paciente)
• Modo de preparo do alimento;
• Quantidade que desencadeou a reação;
• Reincidência (reações após contatos posteriores com o mesmo alimento);
• Intervalo de tempo desde a última reação.
• Relacionados às manifestações clinicas:
• Idade de início dos sintomas;
• Intervalo de tempo entre a ingestão do alimento suspeito e o início dos sintomas;
• Descrição dos sinais e sintomas apresentados;
• Associação a outros fatores (ex: atividade física ou ingestão de álcool)

Os sintomas devem ser registrados com detalhes, assim como as medidas terapêuticas (medicamentos, chás e afins que o paciente já utilizou para sanar os sintomas) que foram necessárias para o controle do quadro.

Vale lembrar!

A quantidade de alimento ingerida pode auxiliar no diagnóstico, já que as manifestações mediada por IgE podem ocorrer com quantidades mínimas do alérgeno, por exemplo , respirar em um ambiente em que o houve manipulação recente do alimento pode ser suficiente para deflagrar o sintoma clínico.

Exame laboratorial

– IgE mediado – Imunoglobulina IgE: É o anticorpo responsável pela reação alérgica, ou seja, se o organismo está sofrendo por conta de uma agressor, no caso o alimento, a IgE tem a força para expulsa-lo do organismo. Os mastócitos (mediador químico responsável por estimular o IgE), com a ativação do IgE inicia os sintomas que ocasionam a expulsão do agressor (alimento) e pode ser em até duas horas após a ingestão do alimento.
Manifestações comuns: são as gastrointestinais.
– IgE não mediado: Envolvem células do sistema imunológico como linfócitos (os linfócitos (glóbulos vermelhos) são um tipo de célula de defesa do organismo que é um ótimo indicador do estado de saúde do indivíduo, valores altos ou baixos são indicativos de infecções), que ocasionam sintomas que podem levar algumas horas ou dias para se perceber.
Manifestações comuns: são as gastrointestinais, também.

Endoscopia

– A endoscopia digestiva: É um exame que analisa a mucosa do esôfago, estômago e primeira parte do intestino delgado. Ele é feito usando um tubo sensível (endoscópio) que tem na ponta um chip responsável por capturar as imagens do sistema digestivo, como uma câmera). A biopsia pode auxiliar no diagnostico da alergia alimentar. É importante que sejam avaliados a real necessidade do exame e o número de biopsias a serem colhidas e que um anatomopatologista experiente esteja envolvido na interpretação dos achados.

Outros testes: 

Food Detective: Não é tão fácil de encontrar em consultórios de nutris e nem super barato para comprar o kit diretamente (Vi em alguns sites, 100 euros em média). Foi desenvolvido na Universidade de Cambridge e é prático. Um kit que, com uma gotinha de sangue detecta 59 tipos de alergias alimentares. (Aqui tem vídeo)

Vale lembrar!
A quantidade de alimento ingerida pode auxiliar no diagnóstico, já que as manifestações mediada por IgE podem ocorrer com quantidades mínimas do alérgeno, por exemplo , respirar em um ambiente em que o houve manipulação recente do alimento pode ser suficiente para deflagrar o sintoma clínico.

Recapitulando como devem ser as ações do paciente que desconfia ter uma alergia:

– Observar os sinais e sintomas (descritos no post anterior, sobre alergias e intolerâncias);
– Associar o aparecimento desses sinais após a ingestão de qual ou quais alimentos;
– Procurar um especialista (médico, ele é o responsável por esse diagnóstico ele aplica a anamnese e solicita o melhor exame a ser realizado para o diagnóstico);
– Tratamento (????)

*Quer saber quais os tratamentos? Leia esse post aqui