Visitando e participando de alguns grupos sobre restrições alimentares no Facebook, percebi que muita gente (mas é muita gente mesmo), não consegue identificar quais produtos tem lactose, o que pode e o que não pode comer.
Às vezes parece óbvio para alguns, mas outras pessoas tem dificuldade em associar o leite e derivados e acabam consumindo o que não deve. Então, esse post é para ajudar nisso.
Bom, a primeira coisa que todo mundo precisa entender é: intolerância a lactose não é igual a alergia à proteína do leite de vaca. Então, tenha total consciência de que, se você é alérgico, os ditos“sem lactose” não servem pra você.
Aqui vai uma pequena lista de produtos que contém lactose:

• Leite Condensado integral / desnatado
• Creme de leite integral / desnatado Leite integral /semi-desnatado / desnatado de vaca, cabra, ovelha
• Chantilly comum
• Sorvete
• Iogurte comum
• Requeijão
• Queijos frescos
• Queijos processados
• Barras de cereais com cobertura de chocolate
• Maionese industrializada (VERIFICAR RÓTULO, algumas não tem)
• Achocolatados
• Pães para cachorro quente / cheeseburguer
• Sopa creme instantânea
• Biscoitos recheados
• Risoles
• Panquecas
• Molhos para saladas
• Misturas para bolos
• Purê de batatas
• Ovos mexidos
• Pudins
• Souflês
• Licores Cremosos
• Adoçantes
• Leite com baixo teor de lactose
• Iogurte com lactobacilos vivos
• Leites fermentados (Yakult)
• Queijos maturados (como o queijo parmesão)
• Chocolate (acima de 50% geralmente não tem)
• Margarina
• Massa folhada

– Dica da leitora: Macarrão para Yakissoba (aqueles instantâneos). Ela comeu e passou muito mal, foi verificar os ingredientes e contém leite. (O Sobá, macarrão original de Yakissoba, não contém leite nem glúten, mas fiquem de olho na contaminação cruzada)

E ainda assim, é sempre bom ler o rótulo e os ingredientes de cada produto consumido. Por exemplo, a maioria dos chocolates com mais de 50% de cacau não tem leite, mas alguns têm. Comprar confiando totalmente, sem identificar os ingredientes não é bom e algumas vezes você pode só jogar dinheiro fora.

Sem lactose:
Eu ainda discordo muito com esse nome e com os preços dele. Os “sem lactose” pra mim, na maioria das vezes deveria vir com “com lactase” no rótulo. Eles não passam por processos especiais para retirara a lactose; o que acontece é que a enzima lactase é adicionada a eles. É um caminho fácil pra quem não abre mão de continuar consumindo as mesmas coisas, sem passar mal.
Hoje a quantidade de produtos que tem a enzima é grande: leites, iogurtes, coalhadas, queijos. Dá pra se virar bem com eles.

Whey Protein sem lactose
Eu já falei sobre isso nesse post, mas muita gente ainda fica em dúvida quanto à ter leite, não ter leite, tem lactose, não tem.

Primeiro: Whey Protein sem lactose: Isolado ou Hidrolisado. Qual você deve tomar, o seu nutricionista é quem deve te orientar. Cada caso é um caso.
Segundo: Não existe Whey Protein sem leite. Gente, se Whey Protein é proteína do leite, como ele não vai ter leite? Ele pode não ter lactose, como falei acima, mas as proteínas do leite, vai ter sempre.

Qual opção fica: Proteína de arroz, que é ótima também.

Abri esse parêntese aqui porque muita gente me pede encomendas com proteína e eu não faço (ou pelo menos não ainda). Por quê? Porque a Whey que eu uso para consumo, por exemplo, que é a hidrolisada, não tem lactose, mas tem leite. E daí? E daí que os produtos do Panelinha são livres de leite , se eu usar a Whey, pode deixar traços e contaminar outros alimentos.

E porque não usa a proteína de arroz? Porque ela é mais cara e deixaria os produtos com valor mais elevado. Não é nossa intenção.

A soja:
Outro “erro” comum e que já vi que acontece com todo intolerante iniciante é correr para a soja. Já falei dela também aqui nesse post, e gente, só parem com isso. Ela é altamente alergênica e o consumo em excesso pode causar sensibilidade.
Além disso, a soja libera hormônios femininos, o que não é interessante para os meninos.

As melhores formas de consumo dela são: missô, tofu, tempeh e o shoyo, na versão macrobiótica.

Ajudou? Espero que sim. Eu fiz muita coisa errada logo que descobri a intolerância e sofri as consequências. Optar pelo caminho mais curto/fácil, nem sempre é o melhor. Pensar em saúde, sempre em primeiro lugar!